3.3.11

C A R T A P A R A J U L I E T A


Dear Julieta,
É incrível meu jeito sensível e ao mesmo tempo cruel comigo mesma, abalo-me por muitas coisas que deveria deixar passar, mas ao mesmo tempo é esse modo de sentir que me deixa mais forte em uma próxima ocasião. Dizem que o que o olhos não vêem o coração não sente. Essa teoria está me levando à praticidade dos acontecimentos e espero de pés juntos que isso realmente seja verdade. Não quero sentir falta de quem não devia, não quero nutrir sentimentos por quem minha razão diz que não, mas é que às vezes é inevitável sentir essas coisas e deixarem passar. É meio complicado querer, principalmente quando não suportamos perder e não ter aquilo que queremos. É muito frustrante esperar que as pessoas hajam da maneira que lhe cabe seu bom humor, porque nem sempre é assim. Estou querendo deixar passar esse terremoto que abalou as conexões do meu coração, porque ele está bem confuso e indeciso. O que fazer numa situação dessa Julieta? Andar com essa mala pesada nos ombros ou abandonar na primeira esquina que eu cortar no caminho?


.Menina Bordada

Um comentário:

  1. O Menina Apenas chegou aos 300 seguidores, e você faz parte dele, faz parte da minha história.

    Indiquei um selo, pelos 300 seguidores, nesta página http://meninaapenas.blogspot.com/2011/07/entao-eu-dedico.html
    convido você a ir buscá-lo.

    Obrigada por andar comigoo!
    Beijos meus'
    LillyM.

    ResponderExcluir

Um borda aqui, outro aculá e assim escrevemos a nossa história.

Sejam bem-vindos ao meu bordado do dia-a-dia.

Obrigada pela presença.
Voltem sempre!